Histórias de startups

Cultura de cupons de desconto é trazida para o Brasil por jovens cariocas à frente da Cuponeria

Encontrar uma pessoa que não gosta de desconto não é uma tarefa fácil. Quando cursou o ensino médio na Argentina, Nara Iachan se deparou com uma realidade em que cupons de desconto vinham junto com a conta de luz, notas fiscais de farmácia ou fatura do cartão de crédito. Ao voltar para o Brasil, ela notou que essa forma de economizar, tão comum em vários países, não existia por aqui.

Só nos Estados Unidos, em 2011, 312 bilhões de cupons foram distribuídos, o que parecia só reforçar o tamanho da oportunidade de trazer esse costume para o Brasil. Foi então que, em 2012, Nara compartilhou a ideia com seu colega – e hoje, um de seus sócios – Thiago Brandão. Eles juntaram cinco ofertas de restaurantes de Copacabana e criaram um blog. Porém, apesar de simples, o negócio logo fez sucesso.

O termo startup não era tão comum no Brasil, tanto que Nara e Thiago, na época estudantes de economia e sem grandes conhecimentos na área de TI, entendiam que estavam apenas abrindo um pequeno negócio. Sem maiores pretensões, o blog se tornou o MVP da Cuponeria, startup que oferece um serviço de mídia de performance para o varejo offline através de cupons de desconto para os usuários.

Startup renovada 

Com o passar dos anos e a profissionalização da plataforma, a Cuponeria começou a atender empresas de diferentes segmentos, que vão de redes de fast-food a e-commerces e indústrias. A chegada do terceiro sócio, o programador Lionardo Nogueira, foi importante para o desenvolvimento da tecnologia do aplicativo e a inclusão de recursos como a geolocalização, que permite o envio de cupons de acordo com a localização e a preferência do usuário. “A gente trabalha muito a questão de entregar o cupom certo para a pessoa certa”, garante Nara.

A integração de soluções como o “compre e ganhe”, na qual o cliente pode escanear o QR Code da nota fiscal de um produto para resgatar um prêmio, bem como o desconto automático na maquininha de compra, é um esforço recente que remete ao objetivo inicial do negócio: gerar valor para o consumidor – na forma de economia e experiência – e para o empresário, aumentando as vendas e o ticket médio, além de fornecer dados sobre o desempenho de suas campanhas. 

Para chegar a esse modelo otimizado, os fundadores receberam apoio de diversas frentes. Estabelecidos em São Paulo e já tendo passado por algumas aceleradoras, os cariocas ficaram sabendo que o Google lançaria a primeira turma do Launchpad Accelerator. Ainda sem muitas informações sobre o programa, os sócios se inscreveram para o programa que foi realizado em 2015 no Vale do Silício. “A gente não imaginava como essa experiência mudaria a trajetória da Cuponeria”, conta Nara.

Após serem aprovados e darem início às conversas com especialistas, a primeira grande mudança foi em relação às funcionalidades da plataforma. Com a ideia de apresentar um aplicativo extremamente completo, o time ouviu de um dos mentores: "Por que vocês não querem ser simples para o usuário?".

Em outra ocasião, durante a avaliação da identidade visual da empresa, Nara lembra do instante em que concluíram que as cores da Cuponeria não retratavam em nada o conceito de desconto no Brasil. “A gente viu que a Cuponeria não era necessariamente o que a gente queria, ela tinha uma vida própria”. Ao fim da viagem, os empreendedores voltaram tão renovados quanto a startup e mais dispostos a entender as necessidades dos clientes e a ter mais empatia. 

Melhor aplicativo do ano

O suporte técnico e os encontros promovidos pelo Launchpad Accelerator continuaram no Google for Startups Campus, em 2016, quando a Cuponeria foi escolhida para fazer parte da primeira turma do Programa de Residência. Durante os seis meses de atividades, o time teve a chance de estabelecer um novo começo para a startup e aplicar todo o mindset adquirido no Vale do Silício. Nesse espaço de tempo, o compartilhamento de experiências com os demais residentes ajudou também a acelerar a descoberta de soluções para diversos processos. Segundo Nara, “essa troca com outros empreendedores é um atalho para muita coisa”.

A velocidade no crescimento da empresa é comprovada pelo comparativo dos números de antes e depois dos programas do Google. Se, até participar do Launchpad Accelerator e do Programa de Residência, a Cuponeria contava com uma equipe de quatro pessoas e uma base de 450.000 usuários, atualmente a empresa emprega 30 funcionários e atende mais de cinco milhões de consumidores. Além disso, a receita anual do negócio dobrou logo após o Programa de Residência.

Outro efeito dos recursos oferecidos pelo Google se concretizou na forma de um troféu. Pouco antes de embarcar para o Launchpad nos Estados Unidos, a avaliação do aplicativo da Cuponeria estava tão baixa que os sócios decidiram tirar a plataforma do ar. O conhecimento da tecnologia do Google Play e o aprendizado adquirido ao longo das mentorias impulsionaram a reformulação do app, cuja nota saiu de 3,2 para 4,5 estrelas e ainda ganhou o prêmio de melhor aplicativo do ano. Desse momento de virada em diante, o time vem aderindo a outros produtos do Google, como o Google Cloud, Firebase, Analytics, Google Apps e todas as ferramentas de produtividade do GSuite. 

Para descrever os jovens que aprenderam na prática a lidar com a pressão que é o início de uma startup, a melhor palavra é “pioneiros”. Da ideia de popularizar o acesso a cupons de desconto à confiança nas primeira iniciativas do Google for Startups, o saldo que fica é o de clientes satisfeitos e de uma equipe motivada. Olhando para trás, Nara entende que a Cuponeria tem conseguido proporcionar bons momentos no dia a dia das pessoas. “Ver esse grande impacto de trazer uma cultura e dela ter sido benéfica para todo mundo é o meu maior orgulho”. 

Saiba mais sobre a Cuponeria

Fique por dentro das novidades da Cuponeria no Facebook  Instagram  Twitter

Categorias:

Publicidade/Marketing América Latina Histórias de startups